2020-09-01

Livros que voam

Mario Vargas Llosa, Paul Theroux, Ramalho Ortigão, Mariana Enriquez e Susan Sontag juntam-se no regresso da atividade editorial da Quetzal Editores. 

Partilhar:

Setembro na Quetzal Editores marca o regresso de Mario Vargas Llosa aos temas latino-americanos, com Tempos Duros, um thriller histórico e político ambientado na Guatemala, em 1954, quando o golpe militar encabeçado por Carlos Castillo Armas, e apoiado pelos Estados Unidos através da CIA, provoca a queda do governo reformista de Jacobo Árbenz. A viagem pelo continente americano continua com Paul Theroux, que nos leva ao México, a terra de todas as aventuras e de todos os sonhos. Em Na Planície das Serpentes, Theroux redescobre um país grandioso e cheio de história, que fascina várias gerações. Com Ramalho Ortigão, seguimos Pela Terra Alheia [da coleção Terra Incógnita] de Espanha à Argentina, à França, à Alemanha e a Itália. Este livro condensa, num só volume, os dois tomos da edição original, que reúne textos escritos entre 1867 e 1910. Os livros de Ramalho Ortigão inventaram a moderna literatura portuguesa de viagens, emprestando-lhe cosmopolitismo, alegria e luxúria – e um picante de humor e ironia que só Ramalho pôde conhecer. Mês de começos, setembro dá ainda continuidade à Agenda Literária Quetzal, com organização de Helena Vasconcelos. Uma tradição que vem para ficar.

Outubro traz aquele que foi considerado pelo júri do Prémio Herralde como «o novo grande romance latino-americano», na senda de Rayuela, Paradiso, Cem Anos de Solidão ou 2666. A Nossa Parte da Noite é um romance total e deslumbrante que consagra Mariana Enríquez como uma escritora fundamental das letras latino-americanas do século XXI. A nova edição de Outras Inquirições, de Jorge Luis Borges, a publicação do grande romance histórico de Susan Sontag, O Amante do Vulcão, e as 16 lições meditativas, embora práticas, que Erling Kagge conduz em Filosofia para Exploradores Polares fecham um grande mês que inclui ainda o novo livro de poesia do cada vez mais internacional João Luís Barreto Guimarães, Movimento.

Novembro convida a Rezar de Olhos Abertos, com José Tolentino Mendonça. Este é um livro pensado não como um livro sobre a oração, mas como um caderno de práticas da oração, reunindo um conjunto de orações que José Tolentino Mendonça foi escrevendo ao longo do tempo. Orações para o nosso tempo, para a nossa perturbação, para a nossa vida. Todas elas podem ser lidas e escutadas em silêncio. De olhos abertos. Latim do Zero a Vergílio em 50 Lições, de Frederico Lourenço, mostra como é fácil, simples e atraente a aprendizagem do Latim (a partir do zero). Este é um instrumento fundamental para levar leitores e leitoras de língua a sentir o prazer inigualável de ler, no original, o melhor que existe na língua latina. Passo a passo, do zero a Vergílio. Com Amada, José Riço Direitinho aprofunda os temas de O Escuro que te Ilumina – com um cenário pós-apocalíptico, que recupera o personagem solitário, agora com 85 anos, enquanto espera o momento da eutanásia. E, nesse contexto, a Quetzal Editora publica também Um Crime de Solidão, Sobre o Suicídio, de Andrew Solomon. Trata- se de uma reflexão sobre o suicídio em nove vibrantes e comoventes textos. O ano editorial fecha com um registo de nostalgia, patrocinado por Pedro Pinto. As Motos da Nossa Vida. As motorizadas que marcaram Portugal é um livro ilustrado sobre a saudade das velhas Quimera Alma, Panchancho, Casal Carina, Sachs V5, Vilar Cucciolo, Famel Foguete, Casal 287. Motos da idade de ouro das 50CC fabricadas em Portugal, que ganharam um lugar na nossa memória e na nossa vida. Para milhares de nostálgicos.

Este site utiliza cookies para lhe proporcionar uma melhor experiência de navegação. Ao navegar estará a consentir a sua utilização. Saiba mais sobre a nossa política de privacidade. Tomei conhecimento e não desejo visualizar esta informação novamente.

OK