2021-01-08

Uma história de negros contada por brancos.

Por razões desconhecidas, em junho de 1957 todos os habitantes negros de Sutton – cidade criada por William Melvin Kelley – pegam nos seus haveres e entram em autocarros ou partem a pé com destino incógnito. O episódio é relatado pelos brancos que permanecem, testemunhas impotentes e estupefactas. Assim como toda a história dos Tucker – antigos escravos cujo último membro liberto pôs em marcha o êxodo – é contada pelos vários membros da família Willson, proprietários de terras e, no passado, de escravos também.

Partilhar:

Oportuno e extremamente atual, o romance de estreia do escritor afro-americano, que o deu à estampa apenas com 24 anos, em 1962, «é mais do que um brilhante primeiro romance de um jovem escritor negro. Trata-se de uma parábola que estuda algumas das profundas implicações espirituais da luta dos negros por direitos civis completos e por um estatuto humano integral no mundo de hoje», escreveu o monge trapista Thomas Merton sobre Melvin Kelley, um autor comparável a William Faulkner.

Quase sessenta anos depois, Um Tambor Diferente é editado pela Quetzal Editores, com tradução e prefácio de Salvato Teles de Menezes.

Disponível nas livrarias a 14 de janeiro.

Este site utiliza cookies para lhe proporcionar uma melhor experiência de navegação. Ao navegar estará a consentir a sua utilização. Saiba mais sobre a nossa política de privacidade. Tomei conhecimento e não desejo visualizar esta informação novamente.

OK