2020-09-30

Literatura, infinito, espaço & tempo, os clássicos – e todas as coisas que Borges ama

«Outras Inquirições», originalmente publicado em 1952, reúne alguns dos ensaios mais brilhantes de Jorge Luis Borges – constituem um diálogo permanente com o mundo e fazem do seu nome uma referência indispensável para a cultura do século XX

Partilhar:

Jorge Luis Borges é um dos maiores autores do século XX e um dos nomes mais importantes da literatura de todos os tempos. Outras Inquirições reúne alguns dos seus ensaios mais importantes. Este livro dá igualmente continuidade às novas capas da série que a Quetzal dedica a Jorge Luis Borges – todas elas reproduzindo fragmentos do tríptico As Tentações de Santo Antão, do pintor Hieronymus Bosch, que se encontra no Museu Nacional de Arte Antiga, em Lisboa.

 

Os textos reunidos em Outras Inquirições abordam temas importantes e quase obsessivos na obra de Jorge Luis Borges: as relações entre o espaço e o tempo, a previsão do futuro, a eternidade, o suicídio e a redenção, o infinito, a existência do inferno, o papel da alegoria, os nomes de Deus, a leitura cabalista da Bíblia, a filosofia e a poesia chinesas, o panteísmo, os clássicos e a sua importância, a lenda de Buda ou a refutação do tempo – e ainda uma lista de autores que sempre amou, de Cervantes a Chesterton, de Coleridge ou Quevedo a Kafka e Oscar Wilde.

 

Publicado pela primeira vez em 1952, Outras Inquirições é um título que nos devolve o seu génio criador e solitário, e onde Borges reúne alguns dos seus mais importantes ensaios, como «Magias parciais do Quixote», «Kafka e os seus precursores» ou «Do culto dos livros».

 

Disponível nas livrarias a partir do dia 2 de outubro.

Este site utiliza cookies para lhe proporcionar uma melhor experiência de navegação. Ao navegar estará a consentir a sua utilização. Saiba mais sobre a nossa política de privacidade. Tomei conhecimento e não desejo visualizar esta informação novamente.

OK