Cartas e Recordações

Cartas e Recordações

ISBN:9789897223860
Edição/reimpressão:03-2018
Editor:Quetzal Editores
Código:000068000746
ver detalhes do produto
19,90€
-10%
PORTES
GRÁTIS
EM
STOCK
COMPRAR
-10%
PORTES
GRÁTIS
EM
STOCK
19,90€
COMPRAR
I10% DE DESCONTO EM CARTÃO
IEnvio em 3 dias
IPORTES GRÁTIS

SINOPSE

Saul Bellow escreveu, ao longo de toda a sua longa vida, cartas maravilhosamente perspicazes, impiedosas, ternurentas, ferozes, hilariantes e sábias. Entre as melhores estão algumas das que mandou aos seus companheiros de escrita - William Faulkner, John Cheever, Ralph Ellison, Cynthia Ozick, Philip Roth, Martin Amis, entre outros. Esta é, na verdade, a autobiografia que Bellow nunca escreveu - que mostra as influências no trabalho de um homem e ilumina o seu duradouro legado: os romances e as histórias que lhe granjearam o Nobel e a admiração de leitores de todo o Mundo.
Ver Mais

DETALHES DO PRODUTO

Cartas e Recordações
ISBN:9789897223860
Edição/reimpressão:03-2018
Editor:Quetzal Editores
Código:000068000746
Idioma:Português
Dimensões:148 x 233 x 28 mm
Encadernação:Capa mole
Páginas:404
Tipo de Produto:Livro
Classificação Temática: Livros em Português > Literatura > Epístolas e Cartas
PRÉMIO NOBEL DA LITERATURA 1976

Escritor norte-americano de etnia judaica, Saul Bellow nasceu a 10 de Junho de 1915 em Lachine, nas cercanias de Montreal, no Canadá. Filho de judeus russos que haviam imigrado dois anos antes do seu nascimento, viveu num bairro desfavorecido de Montreal até 1924, altura em que a família se decidiu mudar para Chicago.
A sua mãe faleceu em 1932 mas, apesar do desgosto profundo que sofreu, Saul Bellow conseguiu ser admitido no curso de Literatura Inglesa da Universidade de Chicago. Acabou no entanto por pedir transferência para a Northwestern University , de onde obteve um diploma em Antropologia e Sociologia em 1937.
Matriculou-se depois num curso de pós-graduação na Universidade de Wisconsin, que logo abandonou, casando-se e decidindo tornar-se escritor a tempo inteiro. Na obrigação de sustentar a sua nova família, começou a leccionar na Escola Normal Pestalozzi-Froebel de Chicago em 1938, e aí permaneceu até 1942, iniciando então uma colaboração com o departamento editorial da Enciclopédia Britânica.
No ano de 1944, e no âmbito da entrada dos Estados Unidos da América na Segunda Guerra Mundial, foi destacado para a Marinha Mercante. Não foi destacado para a Marinha de Guerra devido à sua ascendência russa e às simpatias que nutria na época pelos ideais de esquerda.
A vida a bordo proporcionou-lhe o tempo e a disposição necessárias ao retomar da escrita e, assim, publicou nesse mesmo ano de 1944 o seu primeiro romance, The Dangling Man . A obra, em parte autobiográfica, conta a história de um jovem que atravessa uma crise ao saber que vai ser recrutado. Em 1947 foi a vez da segunda, The Victim.
Em 1948 recebeu uma bolsa da Fundação Guggenheim, e partiu para a Europa, passando cerca de dois anos em Paris. Aí compôs The Adventures Of Augie March (1953), que lhe valeu o National Book Award no ano seguinte ao da sua publicação.
O seu sucesso como romancista foi continuado com obras como Seize The Day (1956) e Herzog (1964), relato das desventuras de Moses Herzog, um intelectual judeu que enlouquece e que, para sobreviver às suas tendências suicidas, escreve cartas a Deus e a filósofos desaparecidos. No ano de 1976 recebeu o Prémio Pulitzer na categoria de Ficção pela publicação de Humboldt's Gift (1975), romance em que descreve o percurso de um escritor de sucesso, Charlie Citrine, a quem falta talento. Nesse ano de 1976 foi também galardoado com o Prémio Nobel da Literatura.
Faleceu a 5 de Abril de 2005, na sua residência em Massachussetts, aos 89 anos.

Saul Bellow. In Infopédia. Porto: Porto Editora, 2003-2011.
Ver Mais

Este site utiliza cookies para lhe proporcionar uma melhor experiência de navegação. Ao navegar estará a consentir a sua utilização. Saiba mais sobre a nossa política de privacidade. Tomei conhecimento e não desejo visualizar esta informação novamente.

OK