2019-09-18

Nova edição – testamento de vgm | le testament de vgm

Corria o ano 2001, Vasco Graça Moura contava 60 anos e deitava no papel a lavra do seu testamento, imbuído no espírito da escrita de François Villon. testamento de vgm | le testament de vgm, o texto que nasceu desse desafio, tem nova edição a 20 de setembro, com o cunho Quetzal. No ano em que se contam cinco da morte daquele que é, indubitavelmente, um dos mais reconhecidos poetas e autores portugueses dos últimos 50 anos.

Partilhar:
«Pretendi uma espécie de divertimento sério», confidenciou Graça Moura em 2012, em entrevista ao Expresso. Um poema autobiográfico onde canta os amores, trabalhos, filhos, amigos, inimigos, a cidade natal, o ofício literário, a paixão pela pintura e a sua natureza mais íntima. deixo a meus filhos versos cultos e também prosas às centenas (os meus dois filhos são adultos e as minhas filhas são pequenas) e muito amor: não deixo apenas, tudo somado, alguns direitos, e fui bom pai, nunca fiz cenas e fi-los sãos e escorreitos.

Este site utiliza cookies para lhe proporcionar uma melhor experiência de navegação. Ao navegar estará a consentir a sua utilização. Saiba mais sobre a nossa política de privacidade. Tomei conhecimento e não desejo visualizar esta informação novamente.

OK