Gráfico de Vendas Com Orquídea

Gráfico de Vendas Com Orquídea

ISBN:9789725649497
Edição/reimpressão:06-2011
Editor:Quetzal Editores
Código:000068000263
ver detalhes do produto
7,50€I
-10%
24H
PORTES
GRÁTIS
EM
STOCK
COMPRAR
-10%
PORTES
GRÁTIS
EM
STOCK
7,50€I
COMPRAR
I10% DE DESCONTO EM CARTÃO
IEm stock - Envio 24H
IPORTES GRÁTIS

SINOPSE

Gráfico de Vendas com Orquídea apresenta um conjunto de textos seleccionados pelo autor e publicados em vida. Com este volume fechamos, por um lado, a série de obras editadas de Dinis Machado, e anunciamos, por outro, a publicação de vários volumes temáticos de crónicas.
Ver Mais

CRÍTICAS DE IMPRENSA

«E depois há os imprevisíveis sinais do tempo, os que, impiedosamente seleccionam o desgosto, a falta, a doença, o desencontro, a dependência, o erro, a quebra da força ou da vontade, as sombras afastadas da alegria. E as mortes onde vamos ficando. E as vidas que as substituem, mas que não substituem as nossas perdas, tão magoadas e tão nossas.
Este é o tempo que dispõe de nós, o veneno na veia, o ácido no espelho e a luva da coragem, insolente, batendo-nos na cara. Exigindo a herança que deixamos.
E o tempo é:
(...) O tempo é esta criança, esta criança fui eu; este homem velho sentado no banco do jardim, que tem nos olhos a luz de outrora (a da criança no outro lado do jardim e que, afinal, começa a despedir-se de tudo o que a criança está a descobrir. O tempo é este homem velho, este homem velho serei eu.»

DETALHES DO PRODUTO

Gráfico de Vendas Com Orquídea
ISBN:9789725649497
Edição/reimpressão:06-2011
Editor:Quetzal Editores
Código:000068000263
Idioma:Português
Dimensões:149 x 229 x 10 mm
Encadernação:Capa mole
Páginas:128
Tipo de Produto:Livro
Dinis Ramos e Machado nasceu em março de 1930 em Lisboa, onde viveu no Bairro Alto até ao fim da sua juventude. Foi jornalista desportivo no Record, no Norte Desportivo, no Diário Ilustrado e no Diário de Lisboa. No início da década de 1960, organizou os primeiros ciclos de cinema da Casa da Imprensa e começou a escrever crítica para a revista Filme. Praticou de tudo um pouco, do poema à entrevista, e escreveu três livros policiais, com o pseudónimo Dennis McShade, para a coleção «Rififi», que então dirigia na editora Íbis. O Que Diz Molero, publicado pela Quetzal na 22ª edição, e pela primeira vez em 1977, constituiu um êxito estrondoso junto da critica e do público e vendeu mais de 100 mil exemplares. Foi ainda traduzido para espanhol, búlgaro, romeno e alemão, estando atualmente em preparação as edições em Itália e na república Checa. Morreu em Outubro de 2008.
Ver Mais

Este site utiliza cookies para lhe proporcionar uma melhor experiência de navegação. Ao navegar estará a consentir a sua utilização. Saiba mais sobre a nossa política de privacidade. Tomei conhecimento e não desejo visualizar esta informação novamente.

OK