Canto Nómada

Canto Nómada

No coração da Austrália, o encontro com a magia perdida.
ISBN:9789897225796
Edição/reimpressão:05-2019
Editor:Quetzal Editores
Código:000068000906
Coleção:Terra Incógnita
ver detalhes do produto
15,50€
-10%
PORTES
GRÁTIS
COMPRAR
-10%
PORTES
GRÁTIS
15,50€
COMPRAR
I10% DE DESCONTO EM CARTÃO
IPré-Lançamento. 24-05-2019
IPORTES GRÁTIS

SINOPSE

O grande território da Austrália pré-colonial era um mapa povoado por aborígenes, nómadas e caçadores-recoletores. Os caminhos que eles percorriam, trilhos quase invisíveis e flutuantes, são hoje conhecidos como songlines, mas para os antigos habitantes significavam também um rasto da memória dos seus ancestrais que, como numa lenda sobre a criação do mundo, caminhavam sobre o desconhecido.

É nesse mundo solitário e quase desabitado da Austrália que Chatwin coloca as suas personagens numa espécie de viagem filosófica, esmagadas pela paisagem, cruzando-se com caçadores de fortunas ou feiticeiros aborígenes, campónios desterrados, polícias que gostariam de ser escritores ou camionistas perdidos.

Ao longo dessa viagem destemida, interrogamo-nos acerca do nosso destino, sugerindo que somos uma espécie de nómadas desenhando caminhos sobre a terra.
Ver Mais

CRÍTICAS DE IMPRENSA

«Ninguém como Chatwin ilumina o coração do viajante»
The Times

«Um livro de riqueza e originalidade notáveis.»
The Spectator

«Um misto de investigação, ficção, história e especulação.»
The Mail on Sunday

«Quase todos os escritores ingleses da minha geração quiseram, num determinado momento, ser Bruce Chatwin […] Eu não fui uma exceção.»
Rory Stewart, The New York Review of Books

DETALHES DO PRODUTO

Canto Nómada
ISBN:9789897225796
Edição/reimpressão:05-2019
Editor:Quetzal Editores
Código:000068000906
Coleção:Terra Incógnita
Idioma:Português
Dimensões:128 x 198 mm
Encadernação:Capa mole
Páginas:344
Tipo de Produto:Livro
Bruce Chatwin (1940-1989) é um dos mais aclamados escritores de literatura de viagens de sempre. Foi jornalista do Sunday Times Magazine durante vários anos, e a carta de demissão que mandou ao seu superior ficou célebre – nela lia-se simplesmente: «Fui para a Patagónia.» O seu livro mais celebre é, justamente, Na Patagónia, um clássico da literatura contemporânea, relato de viagem e retrato da solidão dos grandes territórios do sul do mundo. A sua carreira literária foi curta (mais longa terá sido a de viajante), mas de enorme brilho. Os seus livros, entre os quais O Vice-Rei de Ajudá, O Que Faço Eu Aqui?, Utz, Anatomia da Errância ou Regresso à Patagónia (com Paul Theroux), foram publicados pela Quetzal.
Ver Mais

Este site utiliza cookies para lhe proporcionar uma melhor experiência de navegação. Ao navegar estará a consentir a sua utilização. Saiba mais sobre a nossa política de privacidade. Tomei conhecimento e não desejo visualizar esta informação novamente.

OK