Rapazinho

No ano do seu centenário, o testemunho e o testamento literário de um dos nomes mais importantes da Geração Beat.
ISBN: 9789897226328
Edição/reimpressão: 11-2019
Editor: Quetzal Editores
Código: 000068000944
ver detalhes do produto
16,60€ I
13,28€ I
-20%
PORTES
GRÁTIS
COMPRAR
-20%
PORTES
GRÁTIS
16,60€ I
13,28€ I
COMPRAR
I 20% DE DESCONTO IMEDIATO
I Pré-Lançamento. 22-11-2019
I PORTES GRÁTIS

SINOPSE

Rapazinho (Little Boy) é o derradeiro testemunho e testamento literário do maior poeta da Geração Beat - parte autobiografia, parte recordação dispersa, parte torrente de linguagem e sentimento, e sempre com o tom mágico da escrita de Ferlinghetti. No livro, há reminiscências biográficas entrelaçadas com explosões de energia e de recordação, reflexões, reminiscências e profecias sobre o que podemos esperar da vida no futuro. Rapazinho é uma fonte de conhecimento literário com alusões ao mundo e à vida literária do autor, à sua geração, erros e descobertas - e um convite ao maravilhamento.

Contando episódios da infância, da adolescência e da Segunda Guerra Mundial, da vagabundagem em Paris e do começo da sua existência em São Francisco, Ferlinghetti cruza continuamente o território da autobiografia, mas mantém-na como fio condutor de um romance breve, luminoso e destinado a recordar o mundo como ele devia ser.
Ver Mais

CRÍTICAS DE IMPRENSA

«Rapazinho é uma torrente de esplendor.»
Los Angeles Times

«Como o seu antepassado literário Walt Whitman diria, [Rapazinho] é um urro bárbaro sobre os telhados do mundo.»
The Washington Post

DETALHES DO PRODUTO

Rapazinho
ISBN: 9789897226328
Edição/reimpressão: 11-2019
Editor: Quetzal Editores
Código: 000068000944
Idioma: Português
Dimensões: 150 x 235 mm
Encadernação: Capa mole
Páginas: 192
Tipo de Produto: Livro
Lawrence Ferlinghetti nasceu em Nova Iorque a 24 de março de 1919 e é um poeta, editor e pintor americano. Um dos autores mais importantes da Geração Beat, foi o fundador (em 1953) da livraria e editora City Lights, de São Francisco, e editor de escritores como Allen Ginsberg, Bukowski, Bowles, Sam Shepard ou Artaud. Em Portugal estão publicados uma antologia, Como Eu Costumava Dizer, e o ensaio A Poesia como Arte Insurgente. É considerado o decano dos poetas americanos. O livro Coney Island of the Mind vendeu mais de um milhão de exemplares.
Ver Mais

Este site utiliza cookies para lhe proporcionar uma melhor experiência de navegação. Ao navegar estará a consentir a sua utilização. Saiba mais sobre a nossa política de privacidade. Tomei conhecimento e não desejo visualizar esta informação novamente.

OK