O Livro dos Prazeres Inúteis

O Livro dos Prazeres Inúteis

Um antídoto contra a nossa cultura da velocidade e do trabalho.
ISBN:9789725648568
Edição/reimpressão:03-2010
Editor:Quetzal Editores
Código:000068000084
Coleção:Textos Breves
ver detalhes do produto
12,00€I
9,60€I
-20%
24H
PORTES
GRÁTIS
EM
STOCK
COMPRAR
-20%
PORTES
GRÁTIS
EM
STOCK
12,00€I
9,60€I
COMPRAR
I20% DE DESCONTO IMEDIATO
IEm stock - Envio 24H
IPORTES GRÁTIS

SINOPSE

O propósito deste livro é mostrar que as melhores coisas da vida não custam dinheiro. Durante dois séculos, o Ocidente laborou no equívico de que o prazer é um assunto caro. Passamos a vida a trabalhar no duro e a fazer coisas de que não gostamos para ganhar dinheiro e com ele fazermos coisas de que gostamos. Pois o que este livro faz é libertar-nos das confusões e desapontamentos despendiosos. Os Prazeres (alguns, entre muitos outros):

Tomar banho
Sonhar
Apanhar folhas das árvores no ar
Deambular pela cidade
Fumar
Dormir uma sesta
Raios de Sol
Espetar fósforos em vegetais para fazer vegetais alienígenas
A contemplação de coisas que voam
O sexo matinal
Observar nuvens.
Ver Mais

DETALHES DO PRODUTO

O Livro dos Prazeres Inúteis
ISBN:9789725648568
Edição/reimpressão:03-2010
Editor:Quetzal Editores
Código:000068000084
Coleção:Textos Breves
Idioma:Português
Dimensões:132 x 188 x 12 mm
Encadernação:Capa mole
Páginas:176
Tipo de Produto:Livro

sobre os autores

Dan Kieran é também editor-assistente da revista IDLER e de Crap Towns (uma série de livros humorísticos sobre os piores sítios para se viver).
Ver Mais
Tom Hodgkinson é editor da IDLER (uma revista biannual, em formato de livro, e que faz campanha permanente e em exclusivo contra o trabalho e a ética do trabalho) e autor do bestseller do Sunday Times How to be Idle (como ser inútil);
Ver Mais

Este site utiliza cookies para lhe proporcionar uma melhor experiência de navegação. Ao navegar estará a consentir a sua utilização. Saiba mais sobre a nossa política de privacidade. Tomei conhecimento e não desejo visualizar esta informação novamente.

OK