2023-10-04

Vargas Llosa escreve sobre García Márquez.

O melhor ensaio sobre Gabriel García Márquez. Um portento literário que junta dois Prémios Nobel da Literatura — a tese de doutoramento de Mario Vargas Llosa é um acontecimento tremendamente ambicioso e profundo, que explica com grande rigor as histórias às vezes inverosímeis que forjaram a prosa do escritor colombiano até chegar a Cem Anos de Solidão.

Partilhar:

Foi em 1971 que Mario Vargas Llosa apresentou, em Madrid, o ensaio literário que o une a Gabriel García Márquez, com quem manteve uma amizade mítica, tumultuosa e suspeita, razão pela qual História de Um Deicídio se reveste de interesse e curiosidade. Constitui, ao mesmo tempo, uma análise da obra de García Márquez e uma declaração de amor à literatura, mostrando a estrondosa admiração do Nobel peruano pelo colega colombiano.

«Escrever romances é um ato de rebelião contra a realidade, contra Deus, contra a criação de Deus que é a realidade», escreve Vargas Llosa, explicando que é do sentimento de insatisfação com a vida que nascem os romancistas: «Cada romance é um deicídio secreto, um assassínio simbólico da realidade.» Cem Anos de Solidão é, para Vargas Llosa, o epítome dessa intenção, «inalcançável, eternamente misterioso.»

«Cem Anos de Solidão é um romance total, na linha das criações demencialmente ambiciosas que competem com a realidade de igual para igual.» Com tradução de Cristina Rodriguez e Artur Guerra, García Márquez. História de Um Deicídio chega às livrarias a 12 de outubro.