2022-09-15

Rindo se criticam os costumes.

Várias vezes objeto de distinções e prémios, a tradução de Vasco Graça Moura de O Misantropo, uma das principais peças do dramaturgo Molière, chega às livrarias a 22 de setembro em edição bilingue. Comédia em verso e em cinco atos, O Misantropo foi representada pela primeira vez em 1666 e denuncia a hipocrisia da sociedade e dos costumes da época, sob o mote castigat ridendo moris («rindo se criticam os costumes»).

Partilhar:

Alceste, nessa primeira encenação interpretado pelo próprio Molière, é o misantropo, ou, como o subtítulo desaparecido da peça indicava, o «atrabiliário amo-roso». Odeia a sociedade do seu tempo e rejeita por completo todas as suas convenções — que considera hipócritas e cobardes —, o que faz com que viva tomado por um profundo pessimismo e se subtraia cada vez mais ao convívio humano, mesmo ao dos amigos. Porém, Alceste ama a jovem viúva Celimena, figura mundana, independente e galante, que quer viver a sua juventude e se recusa a segui-lo para uma vida de isolamento. Mas esta paixão — que se deixa ditar pelo desejo — compromete e perverte o equilíbrio da moral de Alceste, que prefere a coquette Celimena à prima dela, a sincera Eliante.

Esta tradução de Vasco Graça Moura reaviva a limpidez clássica do texto, o seu sentido de humor cáustico e a força das personagens.

Este site utiliza cookies para lhe proporcionar uma melhor experiência de navegação. Ao navegar estará a consentir a sua utilização. Saiba mais sobre a nossa política de privacidade. Tomei conhecimento e não desejo visualizar esta informação novamente.

OK