2018-05-23

«O escuro que te ilumina», de José Riço Direitinho. Um romance perigoso, brutal e inclassificável.

Lisboa é a cidade onde ninguém dorme. Nem o narrador desta história surreal. A sua janela dá para a fachada de um edifício de apartamentos de cujos habitantes imagina a vida sexual (até se apaixonar por uma vizinha).

Partilhar:
Porém, quando começa a investigar a vida real dessas pessoas – e dessas mulheres –, percebe que a sua imaginação é demasiado pobre em comparação com a realidade; na «cidade que não dorme» o desejo confunde-se com a perdição, o delírio com a abjecção, e não há fronteiras entre sexos nem entre pessoas. José Riço Direitinho regressa com um romance erótico – e pornográfico, brutal, perigoso e inclassificável, onde reconhecemos parte da cidade e dos seus habitantes. Todos os lugares são reais; as personagens, às vezes são inventadas.

Este site utiliza cookies para lhe proporcionar uma melhor experiência de navegação. Ao navegar estará a consentir a sua utilização. Saiba mais sobre a nossa política de privacidade. Tomei conhecimento e não desejo visualizar esta informação novamente.

OK