2019-10-17

O deserto: essa metáfora do infinito.

Padre, teólogo e escritor, o espanhol Pablo d’Ors é a mais recente aposta no catálogo da Quetzal. Nomeado em 2015 membro do Conselho Pontifício da Cultura pelo papa Francisco, Pablo d’Ors é autor do livro O Amigo do Deserto, que chega esta sexta-feira, 18 de outubro, às livrarias nacionais, com tradução a quatro mãos por Cristina Rodriguez e Artur Guerra. Com beleza e sobriedade, é um livro que segue a linha de Siddhartha, de Hermann Hesse, ou Os Olhos do Irmão Eterno, de Stefan Zweig – um livro sobre o silêncio, a contemplação e a busca do absoluto.

Partilhar:
Pavel, personagem do livro, é obrigado a mudar o rumo da sua vida devido a uma série de circunstâncias. Primeiro com amigos, depois só, leva a cabo viagens pelo Saara, adentrando-se no deserto, metáfora do infinito. O Amigo do Deserto aprofunda temáticas muito presentes no quotidiano e que estão relacionadas com a busca do silêncio, de um sentido mais profundo para as coisas que nos rodeiam e de formas alternativas de ver e viver. Um livro que promove a arte do encontro solitário consigo mesmo.

Este site utiliza cookies para lhe proporcionar uma melhor experiência de navegação. Ao navegar estará a consentir a sua utilização. Saiba mais sobre a nossa política de privacidade. Tomei conhecimento e não desejo visualizar esta informação novamente.

OK