2021-05-12

O Aleph regressa às livrarias.

Há muito aguardada, a reedição de O Aleph – o icónico livro de Jorge Luis Borges – chega às livrarias a 20 de maio, dando continuidade à série de novas capas que a Quetzal dedica ao autor argentino, todas elas retiradas do tríptico «As Tentações de Santo Antão», do pintor Hieronymus Bosch, que se encontra no Museu Nacional de Arte Antiga, em Lisboa.

Partilhar:

Obra incontornável do universo do escritor argentino, O Aleph reúne dezoito narrativas, entre elas, talvez as mais elogiadas e repetidamente citadas, como «O imortal», «Os teólogos», «A escrita do deus» ou «A espera», histórias que mostram as possibilidades expressivas da «estética da inteligência» do mestre, fundindo mentalidade matemática, profundidade metafísica e compreensão poética do mundo – ou seja, o nada, o tudo, o princípio e o fim do mundo, segundo Jorge Luis Borges. Algumas das melhores histórias do grande criador argentino.

Por estas páginas passam quebra-cabeças filosóficos, intrigas fantásticas ou policiais, além de personagens que ficam gravadas na memória como elementos da sua forma de manipular a realidade e as coisas da vida real. Em quase todas as histórias há elementos, pessoas e cenários prosaicos vistos em contextos incomuns e com significados extraordinários, ao mesmo tempo que fenómenos misteriosos se revelam em ambientes quotidianos. Um dos mais importantes livros de Borges. E, naturalmente, da nossa memória e da nossa felicidade como leitores. A edição da Quetzal Editores tem tradução de José Colaço Barreiros.

Este site utiliza cookies para lhe proporcionar uma melhor experiência de navegação. Ao navegar estará a consentir a sua utilização. Saiba mais sobre a nossa política de privacidade. Tomei conhecimento e não desejo visualizar esta informação novamente.

OK