2019-02-28

Morreu o tradutor José Vieira de Lima

A Quetzal cumpre o doloroso dever de informar que morreu o tradutor José Vieira de Lima, a quem a edição e os leitores portugueses tanto devem.

Partilhar:
José Vieira de Lima pertence a uma geração notável de tradutores que percorreu não só vários idiomas mas, também, um feliz grupo de autores, transpostos para a nossa língua. A Quetzal orgulha-se de ter podido trabalhar com este tradutor – tal como acontece, certamente, com tantos outros editores portugueses.

José Vieira de Lima nasceu em 1951, em Almada, cidade onde – na adolescência – esteve ligado à criação de um cineclube. Licenciado em Filologia Românica pela Faculdade de Letras de Lisboa, a sua experiência profissional incluiu quinze anos de jornalismo (na agência de notícias France-Presse) e, finalmente, várias décadas de tradução literária (desde 1986), que começou com Sam Shepard e abarcou uma grande variedade (quase uma centena de títulos) de autores, de V.S. Naipaul a Henry James, passando por Julian Barnes, Edith Wharton, Martin Amis, Edmund White, John Le Carré, Marguerite Duras, Hanif Kureishi, Colm Tóibín, Dick Bogarde, Isabel Allende, Salman Rushdie, Allan Hollinghurst, Colleen McCullough, Paul Auster, David Leavitt ou Samuel Beckett. Beckett (sobretudo Happy Days) foi precisamente, como em tempos afirmou, o autor que mais gostou de traduzir.

Este site utiliza cookies para lhe proporcionar uma melhor experiência de navegação. Ao navegar estará a consentir a sua utilização. Saiba mais sobre a nossa política de privacidade. Tomei conhecimento e não desejo visualizar esta informação novamente.

OK