2022-01-13

Desfrutar do prazer pode ser um ato de rebeldia.

Nunca é demais dizê-lo: as melhores coisas da vida são realmente de graça. É verdade que o prazer, pelo simples ato de desfrutar do prazer, não contribui para o crescimento da economia e, só por isso, pode ser encarado como um ato de rebeldia. E é a favor dessa rebelião, desse protesto agradável contra a sociedade do trabalho e do consumo que corrói o bem-estar e os momentos de ócio, que a Quetzal recupera aquele que podemos, sem falsas modéstias, encarar como o livro salvador destes tempos tão stressantes. A melhor forma de encarar 2022, não há dúvida.

Partilhar:

Deixe-se levar pelo momento e pelo apelo da natureza e aproveite o que ela lhe oferece, sem culpa nem constrangimentos. O Livro dos Prazeres Inúteis, da dupla Dan Kieran & Tom Hodgkinson e com tradução de Vasco Teles de Menezes, é um antídoto contra a nossa vertigem de trabalho e velocidade.

Um belo compêndio para quem acha que perdemos demasiado tempo a perder tempo de vida. Nas livrarias a 20 de janeiro.

Este site utiliza cookies para lhe proporcionar uma melhor experiência de navegação. Ao navegar estará a consentir a sua utilização. Saiba mais sobre a nossa política de privacidade. Tomei conhecimento e não desejo visualizar esta informação novamente.

OK