2019-01-03

Depois dos livrinhos de Natal, regressam os livros da Quetzal

Partilhar:
A Quetzal inicia o ano com a publicação de uma grande autora britânica, Margaret Drabble: «Sobe a Maré Negra» é o primeiro romance de Drabble em Portugal – uma história de pessoas que fazem o balanço de uma vida, sobre a arte de envelhecer e a «procura de ilhas de felicidade quase perfeita». Com ecos de Simone de Beauvoir e de Samuel Beckett, «Sobe a Maré Negra» é uma meditação sobre o fim das coisas e sobre o que faz com que uma vida seja uma vida boa – e uma morte também. Margaret Drabble estará em Portugal para o lançamento do seu livro, entre 21 e 23 de janeiro. Logo de seguida, uma reedição há muito aguardada: a antologia «366 Poemas Que Falam de Amor», organizada por Vasco Graça Moura, reunindo mais de uma centena de poetas, portugueses e estrangeiros (estes, traduzidos pelo próprio), que escreveram sobre amor – o mais belo, estranho e frequente tema da poesia. Sai ainda em janeiro. De Vasco Graça Moura, a Quetzal lançará ainda (depois das suas versões de Dante, Petrarca ou Rilke) uma tradução de Lorca e iniciará a reedição de títulos há muito esgotados.

Em fevereiro, dois romances de autores portugueses – «A Imortal da Graça», de Filipe Homem Fonseca, e «Estocolmo», de Sérgio Godinho. No primeiro, uma história sobre a Lisboa contemporânea, cercada de turistas, cheia de episódios burlescos e românticos passados num bairro em transformação; no caso de Sérgio Godinho, uma história de paixão, obsessão e transfiguração amorosas, através de um triângulo cujos vértices são um homem que aluga um quarto no sótão, uma bela pivô que apresenta o telejornal e a mãe desta.

Um volume de inéditos e textos esquecidos de Agostinho da Silva (com organização de Helena Briosa e Mota), uma antologia da poesia de João Luís Barreto Guimarães (com o título «O Tempo Avança por Sílabas») – que assinala os seus 30 anos de vida literária – e a aguardada reunião de contos e pequenas narrativas de Susan Sontag (Histórias) completam as edições do segundo mês de 2019. Ao longo do ano, haverá – entre outras surpresas que a Quetzal prepara – os novos romances de José Eduardo Agualusa, José Luís Peixoto e José Riço Direitinho, a grande biografia de Sun Yat-Sen, de Jung Chang (a autora da monumental biografia de Mao e de Cisnes Selvagens), bem como o romance vencedor do Pulitzer de 2018, Less, de Andrew Sean Greer, e novos títulos de Yrsa Sigurdadóttir, Mai Jia (o autor de «A Cifra»), Martin Amis e Julian Barnes, entre outros.

Este site utiliza cookies para lhe proporcionar uma melhor experiência de navegação. Ao navegar estará a consentir a sua utilização. Saiba mais sobre a nossa política de privacidade. Tomei conhecimento e não desejo visualizar esta informação novamente.

OK