2021-10-20

As nuvens foram criadas para os sonhadores.

Oito anos depois, a Quetzal volta a editar o romance para jovens e outros sonhadores de José Eduardo Agualusa. Com nova capa, A Vida no Céu regressa às livrarias a 21 de outubro, numa altura em que o escritor se prepara para lançar um novo romance – disponível em novembro – e acaba de ser distinguido com o Prémio PEN pelo livro Os Vivos e os Outros, publicado durante a pandemia. 

Partilhar:

Misto de história de aventuras e de alegoria ecológica, A Vida no Céu é uma visitação à humanidade entre as nuvens – em pleno céu, onde uma nova vida, depois de um desastre de proporções bíblicas, pode ser possível. Com o mundo coberto de água, o Homem subiu aos céus, formou aldeia e cidades flutuantes e navega em pequenas balsas ou gigantesco dirigíveis.

«Depois que o mundo acabou fomos para o céu.» Assim começa este romance, protagonizado por Carlos Tucano, um jovem adolescente angolano que procura o pai desaparecido numa tempestade. Filho do céu, Carlos Tucano deixa a aldeia onde nasceu e, ao longo desta peregrinação, vai-nos dando a ver a vida no céu com os seus prodígios, os seus mistérios, e também os seus desacertos, ao mesmo tempo que estabelece ligações com toda uma galeria de personagens extraordinários – uma curandeira e sonhadora profissional sul-africana, um pirata indonésio arrependido, um navegador solitário cego, além de uma jovem adolescente rebelde, Aimée, que conhece no mais belo dirigível do mundo – o Paris.

Este site utiliza cookies para lhe proporcionar uma melhor experiência de navegação. Ao navegar estará a consentir a sua utilização. Saiba mais sobre a nossa política de privacidade. Tomei conhecimento e não desejo visualizar esta informação novamente.

OK