Ficha do produto
Todos os Escritores do Mundo Têm a Cabeça Cheia de Piolhos
Código: 00573
Última edição: maio de 2016
N.º de páginas: 32
Editor: Quetzal Editores
ISBN: 9789897222603
Em stock - Envio imediato
PÁGINAS
 

Sobre o livro

Sinopse
Que comichão permanente é esta na cabeça de todos os escritores do mundo? Nenhum champô anti-piolhos consegue acalmá-la. Esse mal generalizado faz notícia nas primeiras páginas dos jornais e intriga os leitores deste e de todos os livros que existem.

José Luís Peixoto regressa à literatura para os mais jovens com uma obra de divertido surrealismo, uma parábola moderna sobre o texto, a leitura, os livros - e aqueles que os escrevem.

Todos os Escritores do Mundo Têm a Cabeça Cheia de Piolhos de José Luís Peixoto

Detalhes do produto


Todos os Escritores do Mundo Têm a Cabeça Cheia de Piolhos de José Luís Peixoto

Ano de edição ou reimpressão: 2016

Editor: Quetzal Editores

Idioma: Português

Dimensões: 200 x 200 mm

Encadernação: Capa dura

Páginas: 32

Classificação: Livros de Aventuras

 

Outros livros

Bibliografia

2016  Quetzal Editores
2015  Quetzal Editores
2014  Quetzal Editores
2014  Quetzal Editores
2012  Quetzal Editores
2012  Quetzal Editores
2012  Quetzal Editores
José Luís Peixoto nasceu em Galveias, em 1974.
É um dos autores de maior destaque da literatura portuguesa contemporânea. A sua obra ficcional e poética figura em dezenas de antologias, traduzidas num vasto número de idiomas, e é estudada em diversas universidades nacionais e estrangeiras.
Em 2001, acompanhando um imenso reconhecimento da crítica e do público, foi atribuído o Prémio Literário José Saramago ao romance Nenhum Olhar. Em 2007, Cemitério de Pianos recebeu o Prémio Cálamo Otra Mirada, destinado ao melhor romance estrangeiro publicado em Espanha. Com Livro, venceu o prémio Libro d'Europa, atribuído em Itália ao melhor romance europeu publicado no ano anterior, e em 2016 recebeu, no Brasil, o Prémio Oeanos com Galveias. As suas obras foram ainda finalistas de prémios internacionais como o Femina (França), Impac Dublin (...)