Ficha do produto
Cal
Código: 00053
Última edição: outubro de 2009
N.º de páginas: 208
Editor: Quetzal Editores
ISBN: 9789725648216
Em stock - Envio imediato
 

Sobre o livro

Sinopse
Cal junta contos, uma peça de teatro e poemas em torno de um tema pouco usual na literatura: a velhice, com a sensibilidade inconfundível de José Luís Peixoto.


Excertos
«As mãos de Ana eram velhas. Os dedos eram grossos e tinham riscos feitos pela lâmina da navalha de retalhar azeitona. As palmas das mãos eram grossas e tinham o toque da superfície serrada de um tronco. As mãos do velho Durico eram magras e escuras. As costas da mãos, quando as estendia debaixo de um candeeiro de petróleo, eram suaves. As unhas eram certas por serem cortadas com uma navalha»


Críticas de imprensa
«A grande força está no modo como narra histórias que se dobram para dentro da sua própria loucura e no fio puríssimo de luz com que as vai reunindo e salvando do esquecimento».
Eduardo Prado Coelho

«Uma das maiores emoções da vida de um crítico é a descoberta de um escritor que faça sentir: eis um novo planeta do firmamento literário. O autor português José Luís Peixoto é um desses escritores.»
Alle Landu, Het Parool

«É com verdadeiro deslumbramento que entramos no mundo deste escritor de pluma livre e rigorosa. A escrita parece não lhe guardar qualquer segredo.»
Le Monde Diplomatique

Detalhes do produto



Ano de edição ou reimpressão: 2009

Editor: Quetzal Editores

Idioma: Português

Dimensões: 150 x 214 x 10 mm

Encadernação: Capa mole

Páginas: 208

Coleção: Série Língua Comum / José Luís Peixoto

Classificação: Poesia

 

Outros livros

José Luís Peixoto nasceu em Galveias, em 1974.
É um dos autores de maior destaque da literatura portuguesa contemporânea. A sua obra ficcional e poética figura em dezenas de antologias, traduzidas num vasto número de idiomas, e é estudada em diversas universidades nacionais e estrangeiras.
Em 2001, acompanhando um imenso reconhecimento da crítica e do público, foi atribuído o Prémio Literário José Saramago ao romance Nenhum Olhar. Em 2007, Cemitério de Pianos recebeu o Prémio Cálamo Otra Mirada, destinado ao melhor romance estrangeiro publicado em Espanha. Com Livro, venceu o prémio Libro d'Europa, atribuído em Itália ao melhor romance europeu publicado no ano anterior, e em 2016 recebeu, no Brasil, o Prémio Oeanos com Galveias. As suas obras foram ainda finalistas de prémios internacionais como o Femina (França), Impac Dublin (...)